Autorização de residência, reagrupamento familiar e outras burocracias – Vida em Portugal #03

Autorização de residência, reagrupamento familiar e outras burocracias – Vida em Portugal #03

Olá! Você acaba de chegar em Portugal para morar (no meu caso, para estudar e morar) e se pergunta: e agora? O que fazer? Pois, meus caros, aqui vai uma lista de documentos que você deve fazer para se regularizar aqui (se já tiver o visto e vai fazer a autorização de residência ou se vai fazer reagrupamento familiar), quais documentos são necessários para cada um, o valor que se paga e o tempo de espera para consegui-los. Se você vem com dupla cidadania/nacionalidade da União Europeia, temos um post que poderá te ajudar também, veja aqui: Brasileiros com dupla cidadania em Portugal!

Se você quer saber como fazer a renovação da Autorização de Residência e reagrupamento familiar, já temos um post sobre isso! Veja aqui!

Esse post é uma forma de ajudar e guiar, mas é importante se dizer que em Portugal as exigências podem mudar um pouco de lugar para lugar. Lembrando que vir como turista (ou seja, entrar no país sem um visto de residência) e tentar se legalizar aqui para morar e trabalhar não se encaixa nisso que vou falar, ok?!

Os itens abaixo já estão basicamente na ordem que devem ser feitos.

 

Entrada no país

Caso não tenha entrado na Europa por Portugal, é necessário se dirigir o SEF em até três dias úteis para preencher um formulário de entrada no país, seja como turista ou se tiver um visto. Isso, caso você não vá ficar em algum hotel – se esse for o caso, o próprio hotel se encarregará de avisar ao SEF que você chegou ao país. Mas se você, como nós, ficar na casa de um amigo, tem que ir pessoalmente ao SEF para avisar sua entrada no país.

Documentos necessários:

  1. Passaporte (e cópia das páginas da foto, visto [se existir] e carimbos)
  2. Ticket do voo para Portugal (e cópia)
  3. Formulário de entrada no país, que é entregue lá na hora para preencher
    Custo: gratuito
    Tempo para ser entregue: na hora

Isso deu uma confusãozinha comigo pois nós entramos na Europa por Madrid e ao chegar em Lisboa saímos do aeroporto direto, claro. No SEF de Odivelas em Lisboa (o único que poderia atender sem agendamento segundo um atendente do SEF durante uma ligação que fiz) eu fui informada por duas pessoas diferentes que eu não precisaria preencher documentos ou anexar a meu passaporte o papelzinho de comprovação. DUAS pessoas DIFERENTES disseram que por eu ter o visto de residência colado ao meu passaporte, eu poderia ficar tranquila, que estava dentro da lei. Bem, se alguém que trabalha lá estava me dizendo isso, beleza. Mas mesmo assim eu achei estranho, pois como iriam saber quando eu entrei no país? Onde que meu visto iria provar essa informação? Enfim. Ao chegar no SEF de Aveiro (no qual eu agendei um horário) para dar entrada em minha A.R. (Autorização de Residência) quase duas semanas depois de ter entrado no país, fui questionada pela funcionária do SEF onde estava o meu papel de entrada no país… POIS É! ¬¬ Informei à senhora o que aconteceu e ela disse que isto estava errado. Por sorte, como fizemos este requerimento pro Rafa, pude fazer uma cópia do canhoto que está anexo ao passaporte dele e usar como meu também, pois tinha meu nome na parte de “familiares”. Portanto, de lição temos: mesmo se você vier com visto, informe sua entrada ao SEF caso não tenha passado pela imigração do aeroporto em Portugal; guarde sua passagem o tempo que der em um lugar seguro, além disso, faça uma cópia digitalizada de boa qualidade (falamos neste post a maneira mais fácil de fazer isso, só com o celular!), você nunca sabe quando vai precisar!

 

Comprovante de residência

Se você precisa muito rapidamente de um comprovante de residência (como eu precisei) e tem um amigo português que está disposto a te ajudar, basta ir até a junta da freguesia mais próxima de onde você está hospedado e levar os documentos abaixo. Ah, também vale quando você está morando num lugar por pouco tempo, não tem contrato pronto ainda, então o senhorio do local pode te acompanhar para ser o responsável.

Documentos necessários:

  1. Contrato de moradia OU carta de um português (digitada ou redigida de próprio punho) afirmando onde você está morando (o atendente da junta saberá guiar sobre o que colocar exatamente na carta) e ela deverá ter impreterivelmente a assinatura do cidadão que se responsabiliza por você. IMPORTANTE: essa pessoa que se responsabiliza deverá apresentar o cartão do cidadão para que seja feita uma cópia
  2. Passaporte (a cópia é feita na própria junta, pelo menos foi assim comigo)
    Custo: €5 (pelo menos esse foi o preço para a junta da freguesia de Glória e Vera Cruz em Aveiro)
    Tempo para ser entregue: na tarde do dia útil seguinte

Nós fizemos das duas maneiras (um amigo se responsabilizando e depois o senhorio), pois estávamos hospedados temporariamente com um amigo enquanto procurávamos casa e existia a possibilidade de ficar definitivamente com ele, então na manhã da segunda-feira fomos à junta da freguesia e pedimos o comprovante de residência para levar ao SEF com o endereço do amigo (levamos uma carta assinada por ele e cópia dos documentos dele). Na tarde daquele mesmo dia o destino me fez encontrar o senhorio do nosso atual quarto e fechamos negócio no fim do dia. Então para ter um comprovante de residência com o endereço certinho que iríamos ficar e não o do nosso amigo, na manhã da terça fomos lá pedir alteração no endereço. Nosso senhorio nos acompanhou e escreveu uma carta de próprio punho e apresentou o cartão do cidadão dele. Daí nossa certidão saiu na quarta-feira de tarde com o endereço certinho e não precisamos pagar €5 extras pela alteração de endereço.

 

 Inscrição no posto de saúde (número de utente)

Lembra do PB4? Eu falei dele no post de como conseguir o visto de estudante. Para se inscrever no posto de saúde, você precisa do PB4. Oficialmente, para fazer a inscrição no posto de saúde é preciso já ter o Título de Residência (veja aqui), entretanto em Aveiro eles não pedem o Título, basta apresentar os demais documentos listados abaixo, caso que pode se aplicar a outros lugares, ou não (atenção)! Se dirija ao posto de saúde de sua freguesia para resolver este assunto.

Documentos necessários:

  1. PB4 (seguro de saúde emitido no Ministério da Saúde do Brasil), não precisa estar legalizado nem apostilado, e dependendo de onde você fez seu PB4, ele vai estar com a firma reconhecida (o meu estava)
  2. Passaporte
  3. Título de residência
  4. Cartão de vacinação (não é obrigatório na hora de fazer a inscrição, eu mesma não levei e fiquei “devendo” pra depois)
    Custo: gratuito
    Tempo para ser entregue: na hora (pode ser preciso fazer um agendamento prévio para fazer este procedimento)

Eles não pedem comprovante de residência. Na hora já te entregam o papel dizendo que você está inscrito naquele posto de saúde e, se possível, te designam um médico da família, inclusive dizem os dias e horários que ele atende. Será pra ele que você vai quando tiver qualquer problema de saúde e, acredito eu, se for necessário ele te encaminha para o especialista. Esse médico da família também faz o pré-natal e quando tiver bebê, ele será o médico de seu filho também!

E quem não tem “Autorização de Residência/Permanência ou Visto de trabalho” pode ter acesso ao número de utente e atendimento médico? Neste link, eles respondem:

Os cidadãos estrangeiros que não têm autorização de residência ou permanência ou visto de trabalho têm acesso aos serviços e estabelecimentos do SNS, mediante a apresentação junto dos serviços de saúde da sua área de residência de documento comprovativo (Atestado de residência), emitido pelas juntas de freguesia, nos termos do disposto no art.º 34.º, do Decreto-Lei n.º 135/99, de 22 de Abril, de que se encontram em Portugal há mais de noventa dias.

 

Comprovante de matrícula em instituições de ensino

Dirija-se à reitoria da instituição de ensino na qual você está matriculado e peça pelo comprovante de matrícula, assim como o comprovante de que está em dia com os pagamentos da propina (muito importante!). Eu tive que pagar a primeira parcela + matrícula de minha universidade em agosto, apesar da data limite ser final de setembro, para ter neste comprovante algum pagamento feito. Senão, estaria tudo em aberto para pagar, e como o SEF procura pêlo em sapo, era melhor pagar alguma coisa logo. Eles te entregam os documentos em papel timbrado (baixo relevo) e assinado.
Custo: gratuito
Tempo para ser entregue: na hora

 

NIF

O Número de Identificação Fiscal, ou Número do Contribuinte, é tipo um CPF por aqui, e é necessário para se abrir conta bancária e caso você trabalhe (tenha rendimentos por Portugal). Ou seja, se você vai morar no país torna-se obrigatório. Mas se está apenas passeando, não precisa. Você pode conseguir este número nas Finanças da freguesia onde você se encontra. Como viemos percebendo, não existe uma padronização no país, então lugares diferentes podem exigir documentações diferentes, tome nota mental disso. Para Aveiro, foi isso o que precisamos:

  1. Comprovante de residência: se for endereço de Portugal: contrato de arrendamento, atestado da Junta da Freguesia, conta de água/gás/luz/internet; se for endereço Brasil, pode ser o PB4 ou conta de água/luz/internet. OBS.: Se você tiver um endereço do Brasil, será preciso ir com um representante fiscal, que pode ser um português com NIF ou um estrangeiro que resida legalmente no país e possua título de residência ou cartão de cidadão
  2. Passaporte
    Custo: gratuito (para nós assim foi! Nada nos foi cobrado. Porém existem pessoas que afirmaram ter pago €10,20; não posso dizer de que forma acontecerá pra quem me lê, pois é mais um caso de inconsistência no funcionalismo público português)
    Tempo para ser entregue: na hora

Na hora nós recebemos um papel com nosso número de inscrição. A funcionária que nos atendeu nos disse que um cartão também seria enviado para o endereço que fornecemos e chegaria no prazo de aproximadamente uma semana, mas isso nunca aconteceu. Depois acabamos descobrindo que os cartões já não são produzidos há muito tempo (tal como com o cartão do CPF no Brasil).

 

Abertura de conta bancária

A melhor indicação que eu posso te fazer em relação a Bancos em Portugal é o Activo Bank! Com uma proposta mais moderna e funcional, o banco não cobra taxas de anuidade, nem manutenção. O horário de funcionamento é diferenciado, pois funciona de segunda a sábado, indo das 10h às 20h (ótimo para quem trabalha o dia todo, mas é também uma segurança caso você queira resolver algo depois das 15h). O cartão definitivo já é entregue na hora da abertura da conta, assim como o acesso ao Internet Banking. Eles também entregam gratuitamente um cartão “Boost” (para jovens de até 30 anos) ou Web (para maiores de 30 anos), que funciona como um cartão pré-pago que você pode usar para fazer compras pela internet e controlar seus gastos, colocando nele só uma quantia X que quer/pode gastar para não tirar direto da conta principal. Além do mais, o atendimento dos funcionários é fora de série! Super atenciosos, te explicam tudo com muita paciência, abrem a conta e te levam até o computador para ali mesmo na agência você já entender como funciona o Internet Banking, além de ficar ao lado para que você entenda como funciona o caixa eletrônico deles (pra gente que é brasileiro isso é uma boa ajuda, pois existem termos que não entendemos de primeira). Você vê que eles dão uma atenção especial a todos os detalhes no atendimento para que você não precise nunca mais voltar lá! Pois esta é a proposta deles, que você consiga resolver tudo sozinho pelo aplicativo e internet, sem necessidade de ir ao banco sempre que há um problema. Por isso o slogan “Procuramos pessoas para uma relação à distância”. Acho que já deu pra ter uma ideia do porquê deste banco ter conquistado nossos corações, né?! Mas para ver o nosso post completo onde falamos dessas e das muuuitas outras vantagens sobre o banco, clique aqui.

Caso tenha alguma outra dúvida sobre o banco que não tenhamos esclarecido nesta publicação, estaremos felizes em responder às suas perguntas! 😀

Dois “kits” que recebemos do banco Activo Bank. Atenção em todos os detalhes.

Ah, antes de abrir a conta no Activo Bank, eu abri uma conta bancária na Caixa Geral de Depósitos, pois haviam me dito que era apenas por esse banco que era emitido o Cartão de estudante (ISIC) e após ter esse cartão fica nele já o cartão de débito (mas hey! Era mentira, dá para fazer o ISIC sem ter uma conta na CGD e eu não sabia… É por aqui!). Portanto, nada de ser obrigado a abrir conta na CGD pra ter o cartão! Isso não é necessário! Faça apenas se quiser.

Documentos necessários:

  1. Comprovante de residência
  2. NIF
  3. Passaporte (não é necessário ter visto para abrir conta no Activo Bank, mas já vi pessoas falando que não conseguiram abrir conta na Caixa Geral de Depósitos por não ter visto! Olha aí mais uma vantagem do AB!)
  4. Depósito inicial (varia entre 100 e 250 euros, e esse valor fica disponível na sua conta logo depois)
    Custo: Depende do seu tipo de conta e do banco, varia
    Tempo para ser entregue: na hora

A maioria dos cartões e bancos daqui são cartões MultiBanco, que é tipo o Caixa24Horas do Brasil, só que sem taxas para utilizar, presente em tudo quanto é canto com caixas eletrônicos nas ruas (isso mesmo, eles ficam nas ruas e não dentro de prédios) e nesses caixas você pode sacar, transferir, pegar extrato, pagar contas, recarregar passe e celular… É uma mão na roda! O limite de saque (aqui chamam de “levantamento”) diário nesses caixas é de 400 euros, sendo que só pode pegar de cada vez no máximo 200 euros (ou seja, se precisar retira 200 euros de um caixa e repete a operação para levantar mais 200).

O SEF pede uma conta bancária em Portugal como comprovação de meio de subsistência – eu, sem saber disso, fui lá com um extrato (desses em papel amarelo que sai no caixa eletrônico) da minha conta na Caixa Econômica Federal e eles rejeitaram. Afirmaram que uma conta no Brasil não prova que terei o dinheiro aqui, e isso faz sentido. Abri a conta no banco português e voltei ao SEF. Dessa vez afirmaram que eu deveria ter levado um extrato mostrando que eu já tinha algum dinheiro no banco daqui. Por sorte, eles analisaram meu extrato da conta da Caixa no Brasil e aceitaram assim mesmo. Mas para evitar isso, abra a conta e coloque uma quantia boa de euros nela, entre um salário mínimo vigente e mil euros (falo sobre isso no tópico do reagrupamento familiar abaixo) (transfira usando o Transferwise, conforme explicamos neste post), depois vá à boca do caixa e peça um extrato ou vá no internet banking e tire um extrato. Leve impresso ao SEF em folha A4. E ah, eu entrei na minha conta da Caixa Econômica Federal pelo Internet Banking e imprimi em A4 os extratos dos últimos 3 meses e levei para entregar.

 

Autorização de Residência (A.R.)

A Autorização de Residência é dada a estrangeiros (cidadãos de fora da União Europeia) que residem legalmente em Portugal, portadores de visto residência. Se você tem nacionalidade da União Europeia deve se guiar por esse post aqui!

Primeiramente, deve agendar para dar entrada na sua Autorização de Residência ligando para o SEF através dos números 808202653 (ligando a partir de aparelhos fixos) ou 808962690 (ligando a partir de celulares) ou indo pessoalmente no SEF. Se decidir ligar, é normal demorar 20 minutos em média pra ser atendido, viu? Paciência.

Documentos necessários:

  1. Passaporte (original e cópias da parte com a foto, das folhas carimbadas e visto)
  2. Formulário de pedido de Autorização de Residência que entregam na hora para preencher
  3. Comprovante de residência (e cópia)
  4. Inscrição no posto de saúde e PB4 (e cópia de cada)
  5. Comprovante de meios de subsistência (e cópia se tiver algo com assinatura)(esse valor é de 1 (um) salário mínimo vigente de Portugal acumulado em conta, ou seja, NÃO é preciso multiplicar pelo tempo que irá ficar)
  6. Comprovante de matrícula em instituição de ensino superior (e cópia)(se for o seu caso, claro)
  7. Comprovante de que está em dia com as propinas na instituição de ensino superior (e cópia)(se for o seu caso, claro)
  8. Duas fotos 3×4
  9. NIF (opcional, mas se levar, ele já sai no seu cartão de residência e isso é bom)
    Custo: €€38 (valor de agosto de 2017 – brasileiros sempre pagam apenas esse valor pela Autorização de Residência)
    Tempo para ser entregue: o cartão fica pronto em 4 semanas, você pode optar por pagar mais 8 euros e pouco para ser entregue na sua casa ou ir buscar sem pagar nada a mais, mas precisa agendar para retirar

Vá com tudo isso em mãos e com o coração pronto para altas emoções. Eu tive sorte e só precisei reagendar uma vez, pois na primeira vez que fui não tinha a conta no banco português. Na segunda vez tudo ocorreu bem. Mas tratando-se do SEF, nunca dá pra ficar bem tranquilo (pelo menos de acordo com as histórias lidas na internet). A minha experiência com as funcionárias do SEF foram agradáveis e sem stress, mas se te ocorrer de pedirem algo fora do comum, peça para a pessoa que está te pedindo isso escrever de próprio punho o que ela está dizendo e no final assinar o nome. Assim, quando você voltar com o que ela pediu (ou deixou de pedir, vai saber) terá uma prova para mostrar a outro funcionário. Digo isto pois o funcionalismo público aqui em Portugal não é nada padronizado (como já comentei acima) e é comum acontecer de em lugares diferentes ou até no mesmo local com funcionários diferentes terem exigências diferentes. E pra piorar, eles só falam o que você perguntar, o mínimo do mínimo. Por exemplo: no telefone não me informaram que eu precisaria ter comprovação de meios de subsistência (imaginei que não precisaria pois já tive que apresentar isso ao pedir meu visto no Brasil). Na minha primeira ida ao SEF, a atendente disse que eu tinha que ter a comprovação de meios de subsistência e seria através de um conta em um banco de Portugal, pra provar que eu teria como receber o dinheiro do Brasil. Na segunda ida esta mesma mulher queria encrencar porque eu não tinha extrato da conta bancária portuguesa com algum valor que mostrasse que posso me sustentar. Tá entendendo? É difícil, meus amigos. No nosso caso foi resolvido de forma simples, mas tem gente que fica a ponto de chorar com as coisas que fazem pelos SEFs da vida. Se previna e se prepare!

Observação importante: se está indo para estudar, como eu vim, é possível trabalhar, sim! Mas tem limitações. O trabalho deve ser de meio período (aqui chamam de part-time) e não bater com os horários das aulas. O SEF deve analisar seu contrato de trabalho e seus horários da universidade para aí então autorizar (ou não) seu trabalho. Não é tão simples como o meu esposo Rafael que pode trabalhar no que quiser estando aqui pelo reagrupamento familiar. Aqui, quem estuda no ensino superior e trabalha é chamado de trabalhador-estudante e está regido por leis próprias.

 

Reagrupamento familiar

ATENÇÃO: Se você tem dupla nacionalidade europeia ou é familiar de pessoas nessa situação, você NÃO faz o reagrupamento familiar, veja neste post AQUI o que você deverá fazer! É mais simples do que o reagrupamento que cito abaixo! 🙂

Aqui vou falar sobre o reagrupamento familiar para cônjuge, ok? Para reagrupar filhos, pais ou outros tipos de ligações familiares, dá uma olhada aqui. Pois bem, no nosso caso, eu agendei o reagrupamento familiar pra Rafael, meu esposo, pelo telefone. Pedi para marcar na mesma hora que meu pedido de Autorização de Residência (já que uma funcionária do SEF de Aveiro havia me informado que era possível fazer as duas coisas juntas). O cara do telefone no fim marcou Rafael para quatro horas depois de mim e só ficamos sabendo disso na hora que fomos ao SEF, mas para nossa alegria as funcionárias entenderam a confusão e atenderam o Rafael mais cedo, junto comigo (elas mesmas sabiam que as pessoas que atendem as ligações do SEF costumam não se comunicar bem). Então enquanto eu estava sendo atendida em uma cabine, ele era atendido em outra.

Documentos necessários:

  1. Formulário de reagrupamento familiar (que eles entregam na hora), no qual a pessoa com o visto deve preencher se responsabilizando pelo familiar; no nosso caso, eu preenchi o formulário me responsabilizando por Rafael e por seu sustento em PT
  2. Passaporte (e cópias das páginas da foto, carimbos e visto se houver)
  3. Certidão de casamento atualizada e legalizada pelo consulado, nesse caso, agora poderão ser certidões apostiladas (e cópia)(a nossa certidão não era inteiro teor e aceitaram sem falar nada; a data de emissão estava de junho de 2016, ou seja, atualizada, pois a primeira que tínhamos foi emitida no mês e ano que casamos [janeiro de 2012] e achamos melhor levar uma atualizada)
  4. Antecedentes criminais emitido pela Polícia Federal do Brasil (e cópia)(o nosso foi o emitido pela internet a menos de um mês e estava com um selo de que era uma cópia autenticada, tudo feito em um cartório brasileiro; caso você não tenha feito no Brasil, pode autenticar em um consulado brasileiro)
  5. Comprovante de residência (e cópia)(nesse caso, como estávamos sendo atendidos na mesma hora eu não soube se precisava estar no nome dele também ou se só no meu bastava, mas como no nosso comprovante aparecem os nomes dos dois, estava tranquilo)
  6. Comprovante de meios de subsistência (e cópia se necessário) – confira mais abaixo como fazer as contas para saber o valor oficial a comprovar (no nosso caso, utilizaram os mesmos papéis que usamos para comprovar os meus meios de subsistência no atendimento da A.R.; como estávamos sendo atendidos ao mesmo tempo, a atendente de meu esposo vinha até onde eu estava e pegava dos meus papéis o que ela precisava – as contas bancárias estavam todas em meu nome, mas acredito que poderiam também estar no nome de meu esposo caso estivéssemos sendo atendidos em dias separados)
  7. Duas fotos 3×4
  8. NIF (opcional, mas se levar, ele já sai no cartão de residência e isso é bom)
    Custo: €38 (valor de agosto de 2017)
    Tempo para ser entregue: o cartão fica pronto em 3 a 4 semanas, você pode optar por pagar mais 8 euros e pouco para ser entregue na sua casa ou ir buscar sem pagar nada a mais, mas precisa agendar para retirar

Sobre o ponto 6 desta lista, oficialmente e legalmente está definido como comprovação de meios de subsistência o seguinte: esse é o decreto regulamentar para os meios de subsistência, que foi “alterado” em caráter excepcional por essa portaria. Simplificando o que eles dizem é:
O requerente tem que comprovar renda acumulada (veja mais abaixo o que isso significa), sempre em relação ao salário mínimo atual (557 euros em 2017):
a) Primeiro adulto 100%; (é para o requerente)
b) Segundo ou mais adultos 50% por cada;
c) Crianças e jovens com idade inferior a 18 anos e filhos maiores a cargo 30% por cada.

Ou seja, se tiver de reagrupar um adulto, é preciso ter 100% + 50% do salário mínimo vigente na conta (557 + 278,50 = 835,50 euros em conta bancária de Portugal) e estará dentro do exigido pelo SEF. Agora, claro que se tiver mais que isso, melhor! 😉 NÃO É PRECISO TER ESSE VALOR “MULTIPLICADO” PELOS MESES QUE IRÁ FICAR EM PORTUGAL!!!

Meu esposo já saiu com o número da Autorização de Residência em mãos, assim como eu, que é um papelzinho, tipo um canhoto, contendo seu número de Autorização de Residência e algumas outras informações. Esse papel deve ter o carimbo do SEF e pode ser usado enquanto não chega o cartão mesmo. Com o reagrupamento familiar, meu esposo poderá trabalhar legalmente e estudar também, se assim quiser, pelo tempo que  eu estiver com a minha Autorização de Residência valendo.

 


Nós conseguimos resolver toda essa burocracia em menos de uma semana em Aveiro (chegamos à cidade no sábado 20/08 e estávamos com nossos números da A.R. na sexta 26/08). Preferimos adiantar o máximo possível para Rafael poder trabalhar. Corremos, mas valeu à pena! No dia 21/09 fomos ao S.E.F. buscar nossos títulos de residência e já estava lá! Foi tudo muito tranquilo. 🙂

Autorização de residência - nossos títulos de residência

Lembre-se de sempre ter uma cópia digitalizada de seus documentos para ter mais segurança! Falamos como fazer isso, sem scanner, só com o celular, neste post!

 


 



Espero que este post tenha te ajudado! Qualquer dúvida, estaremos por aqui, é só escrever um comentário ou falar conosco na página do facebook, por email ou até no nosso instagram. 😉

Comentários

comentários

Comments ( 165 )

  1. ReplyJairo Mousquer
    Oi... bem detalhado e útil teu texto. Porém, no primeiro item "entrada no país", deveria pesquisar a legislação e informar o que a lei determina. O artigo 14° da Lei de Estrangeiros (23/2007) determina a comunicação de entrada em até TRÊS dias úteis, ao SEF, se a entrada foi por fronteira não sujeita a controle. Mas se o turista ficar hospedado em estabelecimento hoteleiro, essa comunicação é feita pelo próprio estabelecimento.
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Jairo! Obrigadíssima pelo toque! Eu esqueci disso! Uma amiga falou isso para mim (do hotel) e a própria mulher do SEF, mas em meio ao mar de informações que estava minha cabeça ao tentar organizar tudo no post, passou batido. Mil desculpas. Já atualizei a informação no post. Grande abraço!
      • ReplyViviane Diniz
        Eu não sabia que deveria informar ao sef minha entrada..Já se passaram 6 meses o que devo fazer agora??
        • ReplyGabriela Olem
          Tens de ir a um Sef para regularizar. Provavelmente pagar a multa e ficar tudo quite.
  2. ReplyJairo Mousquer
    No item sobre o NIF, vc relata que recebeu o cartão de contribuinte em uma semana. Mas todos que estão em Portugal dizem que esse cartão já não é mais confeccionado há mais de cinco anos. Além de que vc diz que não pagou a taxa de 10,20€, que é justamente a taxa para emissão do cartão de contribuinte.
    • ReplyGabriela Olem
      Bom, essa questão do cartão do NIF foi o que a própria funcionária nos informou... Ela afirmou que chegaria ao nosso endereço o cartão! Porém, como não se passou uma semana desde que fizemos o cadastro, não tenho como saber se vai chegar mesmo ou não. Atualizei no post explicando isso. Se nunca chegar, eu tiro essa info. E sobre esse valor, nós não pagamos nada. Realmente não fomos cobrados. Quem sabe eles passaram a não cobrar mais nas Finanças, mas continuam a cobrar em algum outro setor, que eu sinceramente não sei qual é.
  3. ReplyRebecca
    Que post maravilhoso!!!! Muito grata pelas informações e paciencia de nos escrever!!! Você faz com que o mundo seja mais solidário e humano!!!
    • ReplyGabriela Olem
      Que bom que pude ajudar, Rebecca! Queria ajudar todas as pessoas que ficam meio perdidas assim que chega cá em Portugal. Pode ser que os prazos e documentos se modifiquem de lugar para lugar, mas pelo menos já se tem uma base do que é necessário. Abração!
  4. ReplyMônica Patricia
    Nossa!! Que maravilha! Foi tudo muito rápido, Gabi! Tudo fica assim...fácil, rápido, facilitado e "burocraticamente" resolvido quando é a vontade Daquele que É tudo em nossas vidas, nosso DEUS poderoso e onipotente! Estou feliz por vocês. Pode acreditar...isso efetivamente serve para matar a saudade aqui no Brasil!! E olha, a questão que você mencionou dos "serviços públicos que não se comunicam..." e que "muitos falam em exigências diferentes, cada vez que você se dirige a um funcionário diferente...!" Não é muito diferente daqui do Brasil!!! Mas é assim mesmo, e eu que pensava que esse tipo de burocracia, desinformação e falta de comunicação era um privilégio só nosso...hahaha!! Beijos
    • ReplyGabriela Olem
      Pois é mãe, essa questão dos serviços públicos e a burocracia aqui se parecem demais com o Brasil... Aqui realmente não é tão diferente daí! hehe
  5. ReplyNickname ( required )
    Olá! Parabéns pelo texto! Uma dúvida: as certidões de nascimento (dos meus filhos e marido) e casamento tem que ter data recente? Tenho que tirar 2ª via dessas certidões? Obrigada por me esclarecer.
    • ReplyGabriela Olem
      Oi! É sempre bom pegar uma certidão atualizada para evitar problemas. Principalmente de casamento, pra provar que você continua casada com seu marido. Não nos foi especificado isso, mas preferimos prevenir já que até para resolver certas coisas no Brasil se pede uma versão atualizada. Além disso, não se esqueça de legalizar/apostilar o documento para que seja válido em Portugal. Abraço!
      • ReplyNickname ( required )
        Obrigada pela atenção. Agora é esperar os cartórios da minha cidade começarem a apostilar. ?
  6. ReplyMarina Oliveira
    Oi Gabriela! Muito bom o texto. Estou indo agora em setembro para fazer mestrado em Lisboa e seu texto foi muito útil! Só fiquei com uma dúvida, sou casada também porém meu marido irá para Portugal apenas em novembro, é tranquilo que ele peça o reagrupamento familiar depois ou é bom fazer tudo junto como você e seu marido? Outra coisa, vc acha que vale a pena agendar a ida ao SEF ainda estando no Brasil? Obrigada!
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Marina! Não tem problema o reagrupamento do seu esposo ser depois não. Não precisa ser junto. =] E sobre agendar estando ainda no Brasil, é uma boa ideia se tratando de Lisboa, já que lá pelo grande volume de imigrantes costuma demorar para marcar. Veja se consegue agendar, não mencione nada sobre ainda estar no Brasil, hehe.
      • ReplyMarina Oliveira
        Heehehe, boa idéia Gabriela, vou fazer isso! Se vc não se importar, estou com outras dúvidas: em relação ao comprovante de residência... estou alugando um apartamento para passar apenas o primeiro mês em Lisboa enquanto meu marido não vai, porém foi tudo por email diretamente com o proprietário. Alguma chance do SEF aceitar esse tipo de alojamento? E quanto ao agendamento no SEF, devo fazer por telefone assim que chegar em PT antes de tirar todos os outros documentos (NIF ETC)? Ou vou direto a um posto? É tanta coisa que a gente acaba ficando confusa com os prazos hahah tenho medo de fazer algo errado e ficar ilegal! Obrigada novamente!
        • ReplyGabriela Olem
          O SEF aceita como comprovante de residência um contrato de locação e é uma possibilidade eles não se atentarem para o fato de ser apenas 1 mês o contrato. Mas não sei bem o que te dizer sobre isso, já que não vivenciei... :/ E para agendamento no SEF, pode ligar para os números que coloquei no post. Eu agendei antes de fazer tudo praticamente, só deixei uns dias para resolver essas papeladas e acreditei que teria tudo certo a tempo de meu agendamento. Deu tempo. Não precisa ir a um posto para agendar, evita estar no local do estress antes do tempo haha.
  7. ReplySelma Morana
    Bom dia!! amei o post!!! muito obrigada suas informações são uteis . Tenho uma duvida, vou fazer o reagrupamento familiar através do meu filho de menor. Posso tirar o antecedente criminal em Portugal, pq como eu soube tem duração de 3 meses e está levando muito tempo pra agendar e perderá a validade. Mais se eu tirar aí através do consulado , como vou apostilar sendo que só apostila documentos aqui no Brasil. Obrigada
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Selma! Para os antecedentes criminais não precisa apostilar não. ;) Pode tirar na internet e ir a um cartório para reconhecer como cópia autenticada. É suficiente. E sobre essa questão de agendamentos, realmente é complicado. Mas acredito que se eles encrencarem, você pode explicar que perdeu a validade por conta da demora no atendimento deles (?!). Não é fácil lidar com o SEF, eles são imprevisíveis.
  8. ReplyAlhandra Rocha
    Só mais uma dúvida: vc sabe se autenticando a certidão de casamento, não precisa mais autenticar a de nascimento? E se precisa realmente pegar atualizada dos meus filhos menores?
    • ReplyGabriela Olem
      Não entendi bem sua pergunta, mas acredito que todas as certidões devem ser autenticadas. Ou você se refere ao apostilamento/legalização? E realmente não sei sobre pegar a certidão atualizada dos filhos menores, você deve enviar um email para o consulado português para tirar essas dúvidas. =]
  9. ReplyAlhandra Rocha
    Desculpa pela confusão :) como meus filhos são menores acredito que não precise "atualizar" a certidão dos mesmos para fazer o apostilamento. E no meu caso que tenho a certidão de casamento atualizada (que vai ser apostilada), acho que não preciso apostilar tb a minha certidão de nascimento nem a do meu marido.
    • ReplyGabriela Olem
      Ah bem, também acho que não é necessária uma atualizada de nascimento de seus filhos. Mas é minha opinião, tá? E ah, uma vez que vocês tem uma certidão atualizada de casamento, não é necessária a de nascimento de vocês. ;)
  10. ReplyJorge Maia
    Excelente post. Só uma correção a fazer: para sacar 400€, que é Iimite diário (aqui eles falam "levantar" em vez de sacar) você pode fazer duas operações no mesmo terminal, não precisa procurar outro não, ok?
    • ReplyGabriela Olem
      Obrigada pelo toque!
  11. ReplyAlhandra
    Gabriela, revendo seu post, vi que disse que tem que fazer a entrada no país mesmo estando como turista. Eu e meu marido fomos em julho para Portugal, fizemos conexão em Paris, mas não comuniquei nada em Lisboa quando cheguei. Fiquei na casa de parentes. Agora vou morar, mas somente em março de 2017. Será que dará algum problema? Obrigada.
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Alhandra! Você veio e já saiu do país? Veio somente a turismo? Se foi apenas turismo, não houve problema algum e nem vai ter. ;) Quando vier em março de 2017, caso entre na Europa por outro país que não seja Portugal, deves avisar que chegou. Abraços
  12. ReplyGiulliano Bastos
    Olá, obrigado pela dedicação em fornecer tantas informações com tantos detalhes. Você saberia dizer, em quanto tempo desde a chegada em Portugal, fazendo todos os trâmites necessários leva para sair o reagrupamento e quanto a pessoa precisa comprovar financeiramente que durante aquele período consegue que se manter no país?
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Giulliano, desculpa a demora em responder, meu email enviou para a caixa de spam todos os comentários para aprovar no site... :( Olha, eu e meu esposo conseguimos receber nossos cartões com três semanas depois de darmos entrada com toda a documentação no SEF. Como fizemos os dois juntos no mesmo dia, ficou tudo pronto igual. E a questão de quanto precisa comprovar, no post eu deixei um link para o site Br na Tugalândia que está explicando bem certinho os valores oficiais. Deixo um comentário extra aqui, que isso pode variar de caso para caso no fim. Por exemplo, com a gente aceitaram os extratos da conta brasileira que tinha o dinheiro, já que apesar de já termos a conta portuguesa, ela não tinha dinheiro.
  13. ReplyLu Oliveira
    Oi, Gabriela! Tudo bem? Obrigada pelas informações. Meu marido vai fazer o doutoramento em Portugal, sei que ele ganha o visto de residência pra trocar pela autorização de residência. Porém a minha dúvida é: como eu posso entrar como turista para pedir o reagrupamento familiar? Não vão questionar isso no agente de imigração no aeroporto? Como vocês informaram no caso do seu marido? A embaixada só me informou que eu deveria solicitar o reagrupamento ao chegar em Lisboa. Porém fico com receio do que falar para os agentes de imigração. Pois em todos os blogs dizem que a pessoa deve entrar como turista. Mas turista como? Falando pro agente que vai ser só turismo, como muitas pessoas fazem? Fico com receio, porque é bem óbvio que não vou só passar uns dias pois meu marido irá passar 4 anos em Portugal. E eu sem ter uma autorização da embaixada tenho que comprar passagem de ida e volta, correto? Desculpa o textão, eu estou com muita dúvida em relação a isso e isso está me deixando muito ansiosa pra viagem. Agradeço a atenção e a gentileza.
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Lu! Desculpa a demora em responder sua pergunta. Não te preocupa, é assim mesmo. Vais entrar como turista, com passagem de ida e volta. No nosso caso não fizeram muitas perguntas. Em Madrid apenas perguntaram para onde estávamos indo. Respondemos "Portugal" e a mulher carimbou nossos passaportes... Simples assim... Mas sabemos que cada caso é um caso. O reagrupamento familiar está dentro da lei, portanto, não há nada de ilegal nisso, então vocês podem se prevenir levando uma cópia da lei impressa. Se tiverem conhecidos com residência em Portugal, peçam pra um deles fazer uma carta convite se responsabilizando pelos dois por pelo menos os 90 dias, que é o período tem direito a ficar na área Schengen sem visto. Dessa maneira, não haverá motivo para negarem a entrada. Agora EU, sinceramente, acho mais fácil dizer que vc está a turismo e seu esposo vai estudar. Nem todos vão entender as explicações das leis e etc. E além do mais, tem casais que decidem cada um morar para um lado por um tempo por conta de estudo, vc não é obrigada a ficar. Então é mais fácil mesmo dizer que está indo a turismo (fica com a passagem de volta e a carta convite em fácil acesso) e se a coisa apertar, apresenta a lei. Relaxa que vai dar tudo certo. Abraços!
  14. ReplyEduardo
    Olá! Ótimo post! Como já havíamos morado no exterior, e sendo italianos, você saberia dizer se muda os procedimentos para morar em Portugal? De Itália entendemos tudo mas Portugal seria novidade.
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Eduardo! Cidadãos europeus tem tudo diferente, rs. Daí já não sabemos (ainda!). Quando sair a cidadania italiana do meu marido iremos nos inteirar de como conseguir a residência dessa maneira, hehe. Te recomendo pesquisar nos grupos de brasileiros em Portugal, tem muita gente com cidadania européia vivendo por aqui e que pode te ajudar. Grande abraço!
  15. ReplyLais Ribeieo
    Informações organizadas, atualizadas e bem detalhadas. Obrigada!!!!
    • ReplyGabriela Olem
      Obrigada Lais!
  16. ReplyNicoly
    Olá, Gabriela e Rafael! Estou adorando o blog de vocês, está ajudando muito em minhas dúvidas e em minha jornada para estudar em Portugal. Parabéns pela iniciativa e espero que sigam com o projeto até mesmo quando Portugal não for mais a morada de vocês! Enfim, sobre a questão de comprovativo de residência que devo apresentar no SEF (SEF ou grande quebra cabeça gigante? Eis a questão). Somente com o contrato do senhorio já serviria? Ou ainda sim preciso ir na junta da freguesia pedir o comprovante? Sou leiga no assunto, não sei se o contrato e a junta da freguesia têm relação. Fico somente com essa dúvida, já que esse post esclareceu todas as outras e foi de máxima ajuda! Enfim, espero que tenham bons resultados nessa aventura! Abraços.
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Nicoly! Obrigada por seu comentário! Continuaremos a relatar nossas vidas/viagens por aqui, mesmo que não seja em Portugal. =] Sobre sua pergunta, acredito que o contrato pode sim, funcionar como comprovativo de morada. É inclusive a forma mais comum de se comprovar. ;) Se surgir qualquer outra dúvida, só falar por aqui ou mandar mensagem no facebook, que pode acabar sendo mais rápido. Abraço pra tu também, que dê tudo certo!!!
  17. ReplyFrancielly
    Gabi, Pelo o que eu entendi o reagrupamento familiar é feito após a chegada á Portugal. No nosso caso (meu e do meu esposo) eu vou entrar no País com o visto para estudar ( Já que vou me matricular na universidade Lusíada de Lisboa). Agora, qual o visto que o meu esposo deve entrar? O de turista mesmo? Não entendi essa parte. Obrigada. :*
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Francielly! Ele entra como turista mesmo. E depois do reagrupamento familiar ele passa a ter o título de residente. Abraço!
  18. ReplyAlhandra Rocha
    Olá Gabriela. Quando vc levou o extrato bancário para a autorização de residência e o reagrupamento, eles solicitaram a comprovação do montante de dinheiro mensal ou anual? Pq aki serão 3 reagrupados. Obrigada
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Alhandra, no link que eu mencionei do blog "Br na Tugalândia" tem essa informação. É o valor acumulado que deve ter na conta, olha: "Comprovativo de meios de subsistência (extrato bancário): de acordo com o Artigo 2º da Portaria 1563/2007, o requerente tem que provar renda acumulada, sempre em relação ao salário mínimo vigente: a) Primeiro adulto 100 %; b) Segundo ou mais adultos 50 %; c) Crianças e jovens com idade inferior a 18 anos e filhos maiores a cargo 30 %. Com isso, caso seja uma família de dois adultos e uma criança pequena, há de se comprovar 100 + 50 + 30 = 180% do ordenado mínimo vigente." (retirado do blog Br na Tugalândia) Valor acumulado significa que é o valor total mínimo que deve ter na conta, ou seja, não precisa comprovar para 1 ano.
  19. ReplyPortuga
    Depende mesmo de lugar para lugar, eu sou Português minha esposa é Brasileira e resolvemos vir para Portugal, somos casado fez 8 anos em Julho passado, metemos o pedido de residência para ela em Faro em Junho deste ano, estamos a 31 de Outubro e ainda nada de nada.
  20. ReplyMárcio Buarque
    Gabriela tudo bem? Eu e minha família estamos querendo ir para morar em Portugal em Abril.Por favor me tira umas dúvidas.Minha esposa tem dupla nacionalidade o requerimento para o Reagrupamento Familiar já pode se pedido no Brasil?Se não eu como estrangeiro tem que entrar como turista?Estou providenciando a dupla cidadania do meu filho de 3 anos para facilitar ainda mais o processo.desde já muito obrigado.
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Márcio! Eu acredito que o procedimento do reagrupamento familiar só pode ser feito mesmo aqui em Portugal, nos Sef's. É possível agendar enquanto está no Brasil, teria que ligar para um número daqui de Portugal e agendar para uma data em que você estará aqui no país e na área em que você com certeza irá morar. E ah, omitir que ainda está no Brasil. :P Sobre entrar no país como turista, não há problema, já que sua esposa tem dupla nacionalidade e estará legalmente aqui. Nem se preocupa. Abraços!
  21. ReplyAdelson
    Boa tarde Gabriela, Dei entrada num pedido de Visto de Residência para Reformados aqui no Consulado de Portugal no Brasil e apresentei toda a documentação solicitada, inclusive comprovação de renda, antecedentes criminais e comprovante de alojamento em Portugal, etc. Pergunto: Na hora de solicitar a Autorização de Residência junto ao SEF, de posse do meu Visto de Residência concedido aqui, terei novamente que apresentar toda aquela lista de documentos que me foi exigida aqui? E quanto ao endereço, poderei apresentar comprovante de alojamento em hotel? Sim, porque estarei chegando e não terei um endereço definitivo de imediato, o que está me deixando bastante confuso! Obrigado se puder esclarecer-me!
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Adelson! A documentação será diferente da que você apresentou no Brasil. Terá que ter um endereço daqui de Portugal e quase 100% de certeza de que não poderá ser de hotel. O ideal é você chegar, passar uns dias em hotel e achar um local para morar, fazer um contrato e ir atrás de resolver questões como o Nif, conta no banco, inscrição no posto de saúde de sua freguesia... Não se preocupe, você não precisa chegar e automaticamente já dar entrada na sua autorização de residência, seu visto emitido no Brasil certamente vai te dar uns 120 dias tranquilo... Não precisa correr. A lista que eu coloquei nesse post pode diferenciar um pouco da sua por conta de seu tipo de pedido de A.R., mas talvez seja só um ou dois documentos diferentes, no mais, deve ser bem parecido. No site do sef deve haver a lista de coisas a entregar. Abraços!
  22. ReplyPenha
    Olá Gabriela,boa noite,olha será que se passar de 3 dias e não foi ao SEF para comunicar que entrou em portugal,tem duas semanas que minha filha chegou e não foi ao SEF,e agora parece que tem que ter o papel do SEF no passaporte para fazer o contribuinte,você sabe me dizer alguma coisa sobre isso?obrigada desde já.
    • ReplyGabriela Olem
      Penha, pode ir ao Sef para informar que entrou independente de quanto tempo passou, mas terá que pagar uma multa! Não sei te informar quanto... Mas será preciso... :/
  23. ReplyPriscila
    Olá Gabriela!!!! Muitooooo bom o seu post!!!!! Me ajudou muito! Vou virar leitora assídua do blog. Bjinhos
    • ReplyGabriela Olem
      Muito obrigada Priscila! Beijinhos pra ti também! ^^
  24. ReplyPaula
    Oiie. Parabéns pelo Post e muito obrigada. Tenho uma dúvida: tenho passaporte europeu (mas não português) e tenho uma oportunidade de emprego em Portugal. Eutenho algumas dúvidas: - darei entrada no processo para agrupamento familiar com meu marido em Portugal, pelo sej, certo? - quanto tempo demora o processo? Posso assim que chegar e tiver um lugar alugado dar entrada? - em quanto tempo ele poderá aplicar para vagas de emprego? (Terá de fato o visto de residente)? Obrigada. Abs
    • ReplyGabriela Olem
      Olá Paula! Como não é o nosso caso, vou te dizer o que eu acho que seja, mas te recomendo muito ir a grupos de brasileiros em Portugal e pesquisar a resposta de suas perguntas. Tem muita gente com o mesmo caso que você! :) Você vai dar entrada no reagrupamento familiar pelo Sef e o tempo para sair o título de residência para ele será mais ou menos três a quatro semanas (não acho que tenha diferença entre pedir o reagrupamento por uma pessoa que tenha a autorização de residência, que foi o meu caso, e por alguém que tenha passaporte europeu). Assim que ele estiver com o título em mãos, poderá aplicar para vagas de trabalho. Atenção pois, apesar de ele poder trabalhar legalmente, existem empresas que não querem ter o trabalho de pedir o NISS para ele, rejeitando-o, mesmo que esteja tudo ok. Foi o que aconteceu com meu esposo. Mesmo tendo o título de residência que o permite trabalhar, algumas empresas não o aceitaram pois ele ainda não tinha o Número de Inscrição na Segurança Social (como teria se não davam trabalho para ele?). Enfim, ele conseguiu o número do niss de outra forma e vamos escrever um post explicando esse processo. Espero ter ajudado. Abraços! =]
  25. ReplyMarcos
    Morrendo aqui pela ansiedade compartilhada hahaha Os dois tem permissão para trabalhar quantas horas por semana?
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Marcos! Eu, que estou com residência como estudante, só posso trabalhar meio período (o part-time) e tem que ser autorizado pelo SEF o trabalho, pois eles tem que verificar se a carga horária e os dias da semana batem. Não autorizam se eu tiver que trabalhar em um dia que tiver aulas. E o Rafael está com o título de residência para trabalhar full-time, ou seja, sem restrições. ;)
  26. ReplyVinicio
    Como faço para tirar o título de residência, já tenho o NiF e Atividade. Já alugo um apartamento a 1 mês com contrato de aluguel, possuo conta aqui em banco de Portugal. Além de conta de água luz gás que tbm já está em.meu nome.
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Marcos. Que bom que você já conseguiu toda essa documentação. Porém se você veio sem visto, não é fácil conseguir o título. Como não foi o nosso caso, só sabemos o que lemos nos grupos de brasileiros em Portugal... Tem que conseguir o Niss, contribuir pelo menos seis meses para a segurança e tentar conseguir o título. Mas isso não é garantia de que vá conseguir...
  27. Replyrodrigo
    Gabriela, o seu blog caiu do céu! Estou há meses pesquisando sobre a minha situação e vc deu a descrição que aparenta ser a mais próxima o que vou precisar fazer. Minha esposa tem dupla nacionalidade e iremos nos mudar em meados de Abril 2017. Pretendo dar seguimento aos meus estudos em Portugal na Universidade de Coimbra, fazendo mestrado. O problema é estudantes internacionais pagam propina de 7 mil euros anuais para estudar enquanto nacionais portugueses e equiparados pagam somente 1.100 euros anuais. Vc saberia me dizer se com o reagrupamento familiar eu conseguiria ser considerado um cidadão equiparado ou continuo sendo considerado estudante estrangeiro? Vou recomendar seu blog em alguns grupos no FB, muito bom! Parabéns! Abraços Rodrigo
    • ReplyGabriela Olem
      Olá Rodrigo! Primeiramente, obrigada pelos elogios ao conteúdo do blog! :D Então, infelizmente estar com o título de residência pelo reagrupamento familiar não é suficiente para ter direito a benefícios dados aos cidadãos portugueses... No meu caso, estudo na UA e recebi bolsa para pagar igual a um cidadão nacional porque eu passei em primeiro lugar na seleção e demonstrei interesse na bolsa-incentivo. Veja se existe essa possibilidade na UCoimbra também! A outra opção é pagar as propinas do primeiro ano integralmente e assim que possível dar entrada no estatuo de igualdade (que, me disseram, leva aí seus 8 a 9 meses para sair), daí recebes um cartão cidadão e poderás ter os mesmos direitos que um cidadão comum aqui. Mas é um processo lento (pelo menos não tem custos). Tudo de bom! Abraços!
  28. ReplyFernanda
    Ola tudo bom? Eu e meu noivo (ele tem passaporte britanico) queremos casar em portugal e ja pedir o reagrupamento familiar. Ele se mudaria para Portugal e daria entrada para morar la, marcariamos o casamento no cartorio e entao dariamos entrada no reagrupamento. O que vc acha?
    • ReplyGabriela Olem
      Olá Fernanda! Não entendi porque vocês vão casar em Portugal. É caro/difícil casar na Inglaterra? Dizem que não é tão simples casar aqui em Portugal, que é caro e demora. Recomendo, se possível, casar no Brasil e vir com a documentação apostilada. Mas é bom falar com pessoas que já tenham passado pela experiência de casar aqui, pois irão falar com mais propriedade.
  29. ReplyJéssica
    Bom dia eu sou divorciada e gostaria de saber se eu posso pegar a recidencia através do meu filho de 06 anos ele é Português??
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Jéssica, se seu filho tem a cidadania e todos os documentos portugueses certinho, sim! Você pode pegar a Autorização de Residência por reagrupamento familiar.
  30. ReplyJean
    Olá, estou lendo o post com atenção pois estou juntando todos os documentos para ir ao SEF pedir minha autorizaçao de residencia. Entrei em Portugal em Fev.2016 logo após entrar no espaço europeu por Madrid, porém não tinha a informação de que precisaria comunicar o SEF sobre minha entrada em Portugal em até 3 dias (estava hospedado em casa de amigos). Não ficou bem esclarecido no post se para fazer a solicitação de autorização de residencia será exigido este documento de entrada em Portugal emitido pelo SEF. Será que terei problemas? Obrigado.
    • ReplyGabriela Olem
      Jean, eles vão ver no seu passaporte a data de entrada no país. Como entraste por Madri, não tem nenhuma observação de quando você entrou em Portugal. Comigo eles cobraram o papelzinho, sim, na hora em que fui apresentar minha documentação no Sef. Como você não vai ter nada, eles podem te cobrar uma multa por isso!
  31. ReplyMirelli
    Olá Gabriela, de grande valia as suas informações, muito útil. Eu tenho uma pergunta, licença pra fazer kkk, O seu esposo ele fez o seguro saúde ou levou o Pb-4 e foi suficiente? estou indo com meu esposo que vai estudar, e estou nesse empecilho mental aqui... outra coisa, o seu esposo foi como seu dependente, foi isso que entendi? pq estava pensando em fazer uma carta tb de minha mãe como tb um meio de subsistência. O que vc me daria de dica sobre isso. muito obrigada viu
    • ReplyGabriela Olem
      Olá Mirelli! Eu e meu esposo conseguimos gratuitamente o seguro saúde (válida por 30 dias após o dia da viagem) porque compramos nossas passagens com cartão de crédito MasterCard Platinum. Então viemos ambos com PB4 e seguro saúde. E meu esposo veio para fazermos o reagrupamento familiar. De certa forma ele virou meu dependente sim para o Sef, pois tive que comprovar que podia sustentá-lo. Não entendi o que você quis dizer com a carta de sua mãe como meio de subsistência. Seria para comprovar o quê a quem? :)
  32. ReplyVitor
    Uma dúvida Vou fazer "equivalência de diploma", sendo que irei cursar faculdade por um ano em porto. Por conta deste período, só conseguirei o visto de estada temporária. Com este eu consigo um contrato de trabalho? Minha preocupação é que desta forma não conseguirei um visto de residência, e muitos falam que para o contrato de trabalho ele é necessário. Muito obrigado pela ajuda.
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Vitor. Se você vem para passar 1 ano, podes pedir o visto de residência no Consulado e aqui pegar a Autorização de Residência válida por 1 ano, não? No meu caso eu tenho a Autorização de Residência válida por 1 ano e posso trabalhar, desde que o Sef veja o contrato de trabalho (carga horária compatível com minhas aulas) e autorize.
  33. ReplyViviane Diniz
    Olá ,boa noite!! Seu post muito bom..mas tenho uma dúvida se puder me ajudar. Minha marcação no sef está pra julho vou pedir minha primeira residência com contrato de trabalho para eu pedir agrupamento para o meu esposo eu preciso esperar a residência e só depois pedir ou já posso marcar pra ele sem a certeza ainda que irão me dar??? Obrigada
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Viviane, depende. Se você pegar um atendente telefônico legal, ele vai te agendar o reagrupamento até para o mesmo dia do seu agendamento para a Autorização de Residência (antes não dá mesmo). Mas tem atendente que vai negar, dizendo que só dá para fazer um agendamento por vez, ou que tens de esperar sair o teu cartão de A.R. para agendar o reagrupamento... O negócio é ligar e se pegar um atendente que não queira marcar, ligar outra hora.
  34. ReplyClarissa Tozzi
    Olá Gabi! Parabéns pelos postos e pela disponibilidade em ajudar tanta gente❤ Tenho cidadania portuguesa e estamos planejando a mudança para Portugal com meu marido e três filhos menores. Iremos investir em um negócio que deverá ser nossa fonte de renda. Sendo cidadã portuguesa, o reagrupamento familiar e o visto de residência precisam ser solicitados apenas para meu marido e criancas, correto? Muito obrigada.
    • ReplyGabriela Olem
      Olá Clarissa!! :) Sim, o reagrupamento familiar poderá ser feito para seu marido e seus filhos sem problemas, sendo você cidadã portuguesa. Eles inclusive terão um cartão de residência diferente, que é de papel e é válido por 5 anos.
  35. ReplyVictor
    Olá Gabriela. Primeiramente, parabéns pela sua iniciativa de dispor informações altamente úteis para quem se encontra nesta situação, e confesso que me senti muito menos perdido do quanto estava. Entretanto, minha maior preocupação/dúvida é a seguinte. Irei a Porto como parte do meu doutorado sanduíche e ficarei por volta de 8 meses, e minha esposa irá junto. Fico na dúvida sobre a "comprovação de meios de subsistência", a qual pelo que entendi no decorrer do seu post devo dispor de pelo menos de 150% da renda mínima dada pelo SEF (no caso, a porcentagem é referente à ela e eu). Quais são esses valores dados pelo SEF? Os links que você colocou no texto sobre o assunto ("Br na Tugalândia") não mais encontrados e não dizem nada sobre o assunto :(. Outra dúvida, devo realmente legalizar/apostilar nossa certidão de casamento? Isso faz-se em cartórios comuns? Grato desde já!
    • ReplyGabriela Olem
      Olá Victor! Vi agora que o link do Br na Tugalândia não está mais funcionando. Vou editar o texto para que fique esclarecido esse ponto. Mas adiantando é isso: esse é o decreto regulamentar para os meios de subsistência, que foi "alterado" em caráter excepcional por essa portaria. Simplificando o que eles dizem é: O requerente tem que provar renda acumulada, sempre em relação ao salário mínimo atual (557 euros): a) Primeiro adulto 100%; b) Segundo ou mais adultos 50%; c) Crianças e jovens com idade inferior a 18 anos e filhos maiores a cargo 30%. Ou seja, se tiver de reagrupar um adulto, é preciso ter 100 + 50% do salário mínimo vigente na conta (557 + 278,50 = 835,50 euros) e estará dentro do exigido pelo SEF. Agora, claro que se tiver mais que isso, melhor! ;) E sim, sua certidão de casamento deverá estar apostilada. Você pode encontrar a lista de cartórios que fazem o apostilamento aqui. Espero ter ajudado. ;)
  36. ReplyLuan
    Oi, sou novo em Portugal tenho comprovante de residência e contrato de trabalho assinado me disseram que para eu trabalhar legal tenho que ter um visto de trabalho, mas somente no Brasil que tira ele, no momento não tenho essa condição o que posso faser para trabalhar legalmente aqui em portugal
    • ReplyGabriela Olem
      Olá Luan! Não posso te dizer que o método a seguir tem 100% de certeza de funcionar, porém é o que EU LEIO nos grupos de brasileiros em Portugal. Se você veio como turista e começou a trabalhar, deverá pedir para seu patrão requerer um Número de Inscrição na Segurança Social (NISS) para que ele possa recolher seus impostos (tal como pagamos o FGTS descontado de nossa folha no Brasil). Ao completar 6 meses de recolhimento/contribuição para a Segurança Social, você junta essa documentação e vai ao Sef pedir uma Autorização de Residência. Eles podem te negar! Mas também podem aceitar. E dizem que você teria de pagar uma multa alta por ter permanecido irregular por um tempo. O melhor mesmo é você ir até um CNAI aqui em Portugal e eles vão te explicar bem certinho quais são suas opções.
  37. ReplyTalita
    Olá meu marido vai fazer um mestrado e eu vou solicitar o visto de reagrupamento familiar, mas lemos em vários sites que precisamos ter um valor de R$ 40,00 para cada dia de estadia em Portugal para poder conseguir o visto. Essa informação procede? Ou é necessário mostrar o valor do salário mínimo mais 50% somente?
    • ReplyGabriela Olem
      Olá Talita! A comprovação dos 40 euros por dia é para quem vem como turista. Se você vem com o visto e vai fazer o reagrupamento, não é isso que é pedido e sim da forma que eu citei no post! :)
      • ReplyTalita
        Muito obrigada pelo retorno, então o bom seria eu pedir um visto de curto prazo, e quando chegar em Portugal solicitar o reagrupamento, é isso?
        • ReplyGabriela Olem
          Talita, não tenho certeza de que um visto de curto prazo possa garantir o reagrupamento familiar! Pois os títulos de residência só são emitidos com 1 ano de validade... Você precisa descobrir se é possível fazer o reagrupamento, dá uma olhada na Legispédia do Sef para ver se encontrar essa informação.
      • ReplyTalita
        Muito obrigada!
  38. ReplyFábio Vasconcellos
    Olá Gabriela, Nossa fiquei preocupado e com dúvidas...cheguei com um visto de residência para doutorado, que marquei a renovação para abril. Não fui ao sef para avisar que estou no país, pois cheguei por Madri e lá o passaporte foi carimbado. Agora, preciso trazer a família pra morar comigo durante o doutorado. Será que já posso entrar com o pedido de reagrupamento familiar? Eles devem vir em março, e ainda nem sei como entrarão no país (acredito que como turistas). Pode me ajudar com essas informações? Obrigado
    • ReplyGabriela Olem
      Fábio, você vai ter que ir no SEF regularizar sua situação sobre a entrada no país. Caso você tenha ficado os primeiros dias ao chegar em Portugal em um hotel, não será necessário. Mas se não foi esse o caso, terás de ir com seu ticket da viagem informar a data de entrada e pagar uma taxa lá. Sobre o reagrupamento familiar, podes tentar marcar o reagrupamento no nome do cônjuge e não no seu, para não dar choque de você ter duas marcações no SEF (essa é a desculpa que alguns atendentes usam para não marcar o reagrupamento antes de você ter sido atendido no SEF) e terá de agendar para depois do dia em que acontecer seu pedido da Autorização de Residência; não dá para marcar para eles antes de você ter ido. Talvez no mesmo dia, se puder. Mas antes, não. E sim, eles entrarão como turistas! ;)
      • ReplyFábio Vasconcellos
        Minha esposa está com medo de vir como turista e não conseguir dar entrada no reagrupamento aqui. Ligou para o consulado, no Brasil, e disseram que ela não conseguiria aqui isso. O problema é a demora de tudo..triste.
  39. Replyjoao
    Olá, tudo bem? Uma dúvida: vou fazer o processo de AR e reagrupamento familiar para esposa e filha de 05 anos na próxima semana. Li em outro site que no caso de minha filha de 05 anos, também teria que apresentar os antecedentes criminais do BR. Você tem algum informação à respeito?...Achei estranho o pedido para uma criança de 05 anos, mas por precaução emitir no site da PF.
    • ReplyGabriela Olem
      Te respondi na seção de comentários do Facebook, João. Abraços. ;)
  40. ReplyTalita
    Olá, vou ir como turista para Portugal e solicitar o visto de reagrupamento familiar assim que meu marido conseguir o visto de residência. Como vou como turista se eu comprar a passagem para retorno em 60 dias e comprovar que tenho o 40€ para os 60 dias, chegando em Portugal posso cancelar a passagem aérea de volta?
    • ReplyGabriela Olem
      Olá Talita! Então, o visto é emitido apenas pelos consulados de Portugal no Brasil. Aqui em Portugal não se emite vistos, mas autorizaçãoes de residência, certo? Falo isso para que você não erre os termos ao ir no SEF e eles usarem isso como desculpa para não fazer o trabalho deles. Se seu marido chega aqui com um visto que o permite trabalhar, ele irá ao SEF pedir a Autorização de Residência, para assim receber um título de residência. Com a Autorização de Residência aprovada, ele irá pedir o reagrupamento familiar, e assim você poderá receber também um título de residência também. Sobre o cancelamento da passagem aérea da volta, isso fica a seu critério. Se existir alguma taxa para cancelar, EU não cancelaria. A minha passagem aérea da volta eu "perdi", pois simplesmente não apareci e nada aconteceu. Na verdade, só perdi um dinheirinho, rs.
      • ReplyTalita Irala
        Então na verdade eu não preciso de nenhum visto, eu vou como turista e ele como estudante, no momento em que ele conseguir autorização de residência é só solicitar o reagrupamento, é isso?
        • ReplyGabriela Olem
          Isso, quem vem para reagrupamento familiar entra no país como turista. :) E é aqui que muda-se essa situação. Indo de turista para reagrupado.
  41. ReplyNaiara
    Oi, boa tarde, irei em agosto para Portugal para fazer mestrado que se inicia em setembro, devo ir no mês que se inicia ou não tem problema ir antes? Meu esposo irá como turista, minha dúvida é, na chegada logo na imigração, devemos nos apresentar e falar que estamos juntos? ou não devemos falar que estamos juntos? estou com essa dúvida. E outra dúvida é, após o reagrupamento familiar, se meu marido conseguir um trabalho ele poderá solicitar o visto de trabalho?
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Naiara, pode vir antes. Eu vim mais de um mês antes das minhas aulas começarem para poder achar um lugar para ficar com tranquilidade. Recomendo se apresentarem juntos na imigração. E o reagrupamento familiar dará ao seu esposo uma Autorização de Residência, com a qual ele poderá trabalhar normalmente. Não se chama visto, pois visto só é emitido em consulados (ou seja, só é emitido no consulado de Portugal no Brasil).
      • ReplyNaiara
        Obrigada pelos seus esclarecimentos, foram muito importantes para mim. Aliás seu post ficou incrível. Era o que precisa para esclarecer muitas dúvidas que eu tinha. Mas ainda tenho dúvidas a respeito da imigração, tipo eles não poderiam achar estranho eu ir para estudar e o meu esposo como turista? Eles poderiam fazer perguntas do tipo, se ele vai solicitar o reagrupamento familiar, e no caso de isso ocorrer poderia correr o risco deles deportarem meu esposo? Obrigada pela atenção.
        • ReplyGabriela Olem
          Naiara, é recomendável que, para seu esposo, tenha passagem de ida e volta. Para todos os efeitos, ele vai como turista e vai voltar para o Brasil. Então você pode simplesmente dizer que ele veio a turismo e em breve retornará ao país de origem. Sempre evite, o máximo que puder, falar o termo reagrupamento familiar. É um direito seu, como estudante, fazer o reagrupamento? Sim! Mas nem todos os funcionários do Sef vão querer te entender ou te ajudar. Então simplesmente diga que ele está a passeio e pronto. Se pressionarem, você pode levar a lei do reagrupamento familiar impressa e mostrar para eles.
          • Naiara
            Muito obrigada pelos esclarecimentos, me ajudou demais. Sucesso para vocês. :)
  42. ReplyRicardo
    Boa noite, Gabriela. Muito bom o seu blog. Preciso de uma informação a respeito de entrada em Portugal com visto de aposentado ou possuidor de rendimentos. Com este visto, chamado de D7 eu já posso pedir autorização de residência? Grato. Ricardo.
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Ricardo, se você vem com o visto D7, aqui pode pedir a Autorização de Residência, sim! ;)
  43. ReplyMarcos
    Olá, Minha esposa possui cidadania portuguesa. Minha certidão de casamento foi transcrita em Portugal. Minha filhas também tem cidadania portuguesa e todos os documentos. Sei que posso requerer o reagrupamento familiar. Minha pergunta: Quando posso requer a cidadania Portuguesa? E de que forma? Jurídica?
    • ReplyGabriela Olem
      Olá Marcos! Não estudei sobre o assunto do requerimento da nacionalidade portuguesa, por isso infelizmente não posso te ajudar nessa questão. Mas recomendo fortemente dar uma lida nesse site oficial: LINK. Abraços.
  44. ReplyLouise
    Oi, Gabi! Parabéns pelo blog e pelo vídeo =) Meu caso é como o seu: vou estudar e meu marido vai junto, para pedir o reagrupamento. e restou uma dúvida. Quando você e Rafa entraram em Portugal, se apresentaram juntos na imigração - você com o seu visto e ele como turista "pré-agrupamento"? Ou ele entrou como turista sozinho e depois foi se resolver no SEF? Um beijo e obrigada!
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Louise! Entramos juntos na fila da imigração em Madrid, não fizeram muitas perguntas, só questionaram para onde estávamos indo. Respondemos, a pessoa carimbou os passaportes e pronto. Nem sei se ela chegou a ver o visto no meu passaporte. Sem stress. Abração!
  45. ReplyTalita
    Boa noite! Meu marido (iremos fazer união estável com data retroativa) irá com visto de estudante para Portugal e eu vou solicitar a autorização de reagrupamento familiar. A minha duvida é se nos perguntarem na chegada o que farei em Portugal informo que meu marido vai estudar e irei acompanha-lo por um período ou posso falar que irei solicitar o reagrupamento?
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Talita! Não sei qual a melhor opção. Na nossa entrada por Madri não nos perguntaram isso... É um passo no escuro, qualquer uma das duas opções pode dar problemas (ou não! hehe). Leve a comprovação da sua passagem de volta, de qualquer maneira.
  46. ReplyFernanda Beatriz Paulino
    Gabiiii! Lembra de mim né? Lá dá Igreja Congregacional em Piedade? Tocamos em uma banda adolescente 😂 vê só, tô querendo (vou) para Portugal, hoje sou advogada e sei da reciprocidade entre a ordem de advogados brasileiros e portugueses. Já que estas morando aí seria muito interessante tu me mandar teu contato por email pra falarmos pelo whatsapp pra tu me ajudar nos trâmites, me ajuda? Xeru
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Fernandinha, lembro sim! Eu não entendo dessa questão de reciprocidade dos advogados, nesse caso terias que pesquisar em outros sites especializados. Mas nas outras coisas, questão de visto e documentação de residência aqui, pode perguntar. Email: contato@mundoafrente.com :* :)
  47. ReplyDiaz
    Olá Gabriela. Acompanho o vosso canal no Youtube e tanto lá, como aqui neste post, algo não ficou claro para mim. Qual foi o tempo de espera do primeiro agendamento com o SEF? Desde já, agradeço e desejo sucesso para vocês.
    • ReplyGabriela Olem
      Agendamos a ida ao Sef para duas semanas depois que chegamos a Portugal, mas tinha vaga para poucos dias depois em Aveiro. Tanto que quando agendamos a segunda ida tinha pra o dia seguinte.
  48. ReplyShirley
    Olá Gabi, bom dia! Você teria algum contato de e-mail ou telefone para que eu possa entrar em contato contigo? Ainda tenho algumas dúvidas. Obrigada! Aguardo retorno. Shirley
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Shirley, existe uma área de contato aqui no site. ;) está no menu lá em cima.
  49. ReplyElisabet
    Olá! Gostaria de parabenizá-la por esta maravilhosa iniciativa, todas as informações tem sido de grande ajuda pra mim. Realmente o SEF é um caso complicado, de muitas emoções e incertezas, e depois dessa primeira experiência,fiquei com uma baita interrogação.O meu caso é o reagrupamento familiar (está agendado),só que a título de informação,perguntei ao funcionário sobre os meios de subsistência, ou seja, qual é o mínimo que deve constar na conta de Portugal e olha que a minha conta tinha exatamente 850 euros) Simplesmente o funcionário disse que deveria ter no mínimo uns 4.000 euros.PUTZ! COMO ASSIM? Ele, friamente me mostrou uma tabela com esse valor, e sinceramente fiquei sem palavras. Oras, eu acredito ter sido em clara com ele, mas, essa informação me pegou de surpresa. Se a base é o salário mínimo, não entendo esse cálculo.Gostaria de saber se ficaste sabendo de algum caso semelhante... Obrigada :)
    • ReplyGabriela Olem
      Olá Elisabet. Peça para ver a base legal para aquela tabela. Nunca vi algo assim... abraços.
  50. ReplyNani2384
    Oi Gabi amei o blog me esclareceu muitas duvidas mas ainda estou confusa qdo ao reagrupamento familiar, meu namorado é brasileiro e mora em Portugal há 8 anos e tem título de residência quero me mudar pra Lisboa e pedir o reagrupamento familiar pra conseguir o título de residência também mas não somos casados ainda temos que casar aqui no Brasil? ou se casarmos em Portugal consigo requerer o reagrupamento? E se pudermos casar em Portugal posso casar com meu visto de turista?! A princípio? A outra duvida que tenho é união estável aqui do Brasil também serve como comprovativo de reagrupamento familiar? Obrigada!!!
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Nani, o melhor a fazerem é se casar, pois comprovar a união de facto tendo namorado à distância pode ser complicado. Acho que é mais fácil casar no Brasil, me disseram que é chata a burocracia para casar em Portugal. Abraços.
  51. ReplyEric Bans
    Ola,bom dia. Como esta? Eu gosto de artigo, muito educativo e informativo. De qualquer maneira, sou um estrangeiro que vive e trabalha em Portugal por aproximadamente seis anos agora. Originalmente, eu sou africano, mas da colônia inglesa. Eu estou planejando trazer minha esposa e filha de 7 meses Contactei a CNAI em Anjos, Lisboa, para saber o que fazer ... mas eu  nao acreditei quando me informaram que o meu salário é insuficiente para trazer a minha filha e minha esposa, que tenho de Ganha 892euros mensais para poderem se da entrada no SEF. Desde que eu tenho esse aviso que tenho sofrido emocionalmente. Eu trabalho legalmente na área de Serralheiria com um contrato e estou no salário mínimo de 557 +  subsídio  incluídos assim no final do mês, eu tenho 680euros e tal no meu recibo de pagamento e na conta bancária. Você acha que eu posso ser capaz de trazer minha filha e minha esposa com o salário que eu ganho ?.O que eu entendi de sua resposta a outro é que eu devo ter 835.50euros ou mais na conta e que não é necessário ter essa quantia mensal.O SEF conceder-lhes-á vistos se eu tento? Então eu já tenho um dia marcado com o SEF em outubro, e estou viajando para a África em Julho para fazer papéis para minha esposa e filha. Eu me preocupo, eu não quero viajar para a África um retorno com todos os papéis e eles recusam-lhes vistos. Eu espero de uma resposta de voce. Muito Obrigado!
    • ReplyGabriela Olem
      Olá Eric O Sef é, por vezes, muito arbitrário. Na lei não fala que você deve ter comprovação de valor mensal, mas valor acumulado. É bem claro isso, mas como você vê, os funcionários fazem como querem e bem entendem. Te recomendo levar a lei impressa e ter pelo menos 1000 euros em conta bancária. Boa sorte.
  52. ReplyNatalia
    Oi Gabriela, quero ir para Portugal para morar e estou com uma dúvida, tenho direito a cidadania italiana, só que a minha tem algumas particularidades que vão fazer com que ela custe por volta de R$ 28.000,00, eu poderia utilizar esse valor em parte do pagamento de um curso de psicologia e após o final do curso meu marido iniciaria uma faculdade e a soma do tempo dos nossos cursos daria o direito de solicitar a residência permanente por tempo de moradia em Portugal, desse modo invés de pagar todo esse valor em uma cidadania ele seria gasto em um curso. O problema é que em determinado momento o meu visto de estudante com o reagrupamento dele seria invertido e ele precisaria ter o visto e me reagrupar, você sabe se isso é possível? Pergunto para você porque acho que pode estar pensando na mesma possibilidade, mas se não for o caso deixe para lá porque é uma pergunta bem chatinha de responder e em todos os locais que liguei ninguém sabe ao certo se pode ou não fazer isso. Abraço e obrigada pelo conteúdo.
    • ReplyNatalia
      Oi Gabriela, me expressei mal acima, o visto não seria invertido, na verdade o tempo do meu visto acabaria e ele, meu marido, precisaria ter autorização do SEF para permanecer em Portugal estudando e me reagrupar, essa parte que parece um mistério, será que permitiriam ou mandariam a gente retornar para o Brasil para pedir o visto dele? Se alguém já passou por essa situação me dá um HELP!
  53. ReplyAndré
    Oi Gostei muito do artigo porém tenho umas dúvidas. Título de residencia é a mesma coisa que o cartão cidadão? O valor de comprovação de meios de subsistência é preciso comprovar movimentação na conta ou apenas saldo da conta no dia que estiver no SEF? Obrigado.
    • ReplyGabriela Olem
      Olá, não é a mesma coisa. E é o saldo na conta que estiver no comprovante que levares. ;) Abraços
  54. ReplyThadeu
    Olá, meu nome é Thadeu Muito obrigado pelas postagens. Gostaria de lhe fazer uma pergunta. Acredito que a minha situação é semelhante a sua. Eu e a minha esposa estamos planejando ir para Portugal, ela com visto de estudante e eu por meio do reagrupamento familiar. E a minha dúvida é: estando em Portugal por meio do reagrupamento familiar , eu posso trabalhar?
    • ReplyGabriela Olem
      Pode sim, Thadeu.
  55. ReplyThadeu
    Obrigado...
  56. ReplyAna Caroline
    Oi Gabriela, meu marido e eu adoramos o vídeo! foi muito esclarecedor pra nós, muito obrigada! mas tenho uma dúvida, meu marido (doutorando) vai primeiro e eu vou ter que ficar aqui no Brasil resolvendo umas pendências do meu trabalho, então, a minha dúvida é a seguinte: estarei sozinha só com a passagem de ida, a imigração pode me barrar?? quais documentos eu devo levar pra comprovar que posso me manter e que serei dependente do meu marido em Portugal?? tenho medo de ele não conseguir fácil o reagrupamento familiar e eu ficar barrada na imigração. Se puder responder eu agradeço muito.abraços!
    • ReplyGabriela Olem
      Olá Ana Caroline! Você deverá apresentar passagem de volta, pois estará entrando como turista. Mesmo que tenha direito ao reagrupamento familiar, este procedimento só acontece depois que você entra no país e, para os agentes da imigração, não é algo "garantido" e não são eles que avaliam se o reagrupamento familiar será aceito ou não. Portanto, para todos os efeitos, você será turista e se pedirem uma passagem de volta e você não tiver, poderão te impedir de entrar, sim. A passagem de volta deve ser comprada inclusive caso entre junto com o portador do visto. Abraços!
  57. ReplyLidiana
    Olá Gabriela Olem, Amei os seus post. Parabéns!!! Ajuda bastante em nossas dúvidas. Eu estou indo fazer Mestrado em Lisboa e vou levar minha família, esposo e dois filhos, e gostaria de saber se há possibilidade de barrarem a entrada de meus familiares. Como vc fez? Fala que vai solicitar o reagrupamento? Obrigada!!
  58. ReplyDébora
    Olá Gabriela, tenho mt vontade de ir morar e trabalhar em Portugal e gostaria de saber se eu posso ir como turista e procurar trabalho? e se eu conseguir se consigo o titulo de residencia ? ( Não tenho descendência portuguesa e nem amigos no pais) Se puder responder eu agradeço muuito!!
  59. ReplyLiss
    Boa noite! Meu ex esposo está indo morar em Portugal a trabalho e está indo com a sua atual família. Temos um filho e ele quer nos levar também, dependenos financeiramente dele. Será que eu como ex esposa e responsável pelo menor consigo reagrupamento familiar. Meu medo é ir com o meu filho e ele conseguir o reagrupamento e eu não. Não quero nem penaar na ideia de ficar longe do meu filho! Obrigada
    • ReplyGabriela Olem
      Olá! Você não poderá ser reagrupada pelo ex-esposo... Abraços.
  60. ReplyVictor
    Olá Gabriela, Estou indo ao Porto em agosto para realizar um estágio por um ano e minha esposa irá me acompanhar. Eu vou com o visto e ela entrará como turista e pedirei reagrupamento familiar. No caso dela, ouvi dizer que, além da passagem de volta para até três meses, ela deve portar 45 euros por dia (dinheiro e cartão) que ela ficar como turista. Você sabe dizer se uma declaração de responsabilidade de subsistência assinada e registrada por mim (aqui no BR) pode substituir isto? obrigado
  61. ReplyJefferson
    Olá Gabriela! Mil "parabenses" pelo artigo e blog! É visível a qualidade do material e sua disposição em (nos) ajudar! Sou brasileiro e vou para Portugal, onde vou cursar mestrado, com visto de residência (já aprovado e em mãos) e gostaria de saber se, ao entrar em Portugal, preciso estar com passagem de volta já comprada? Obs. Vou com minha esposa e duas filhas. Estou entendendo que, como elas vão entrar como turistas, devem ter passagem de volta. Faremos o Reagrupamento Familiar na sequência. Esqueci de perguntar, no Consulado quando fui buscar meu visto, se EU preciso de passagem de volta também...Acho que foi a empolgação de concluir a etapa...rs Agradeço desde já, ficando no aguardo de sua resposta.
    • ReplyGabriela Olem
      Oi, não precisa não. :)
  62. ReplyTalita
    Olá, parabéns pelas informações, elas têm sido muito úteis. Eu vi no vídeo que o seu marido entrou como turista, quando vocês desembarcaram eles perguntaram para o seu marido se ele iria como turista? Vocês informaram que pediriam o reagrupamento? Foi tranquilo passar pela imigração do aeroporto?
    • ReplyGabriela Olem
      Só nos perguntaram para onde estávamos indo... E só. :)
  63. ReplySérgio
    Olá Gabriela, achei perfeita sua explanação sobre o assunto abordado: clara e precisa. Gostaria de saber se você pode fornecer o modelo da carta usada por seu amigo (acredito que português) para o Comprovante de Residência. Vou ficar nessa situação (morando na casa de amigo) e gostaria de conhecer os termos usados. Agradeço sua atenção.
  64. Replysantiago
    Olá me diz uma coisa, a minha mãe e aposentada com uma renda maior daquela que precisa para o visto D7, ela e brasileira e nos já somos tb considerados brasileiros perante a lei do brasil, somos 2 temos 26 e 31 anos, ela conseguindo comprovar os 50% do salario minimo de cada, podemos ter o visto de trabalho ?, no caso nos iriamos morar junto com ela, arrumar serviço e estudar depois, ela consegue comprovar mais ainda da renda estipulada.
    • ReplyGabriela Olem
      Olá, vocês não podem ser dependentes dela. Precisam pedir seus próprios vistos.
  65. ReplyNique
    Parabéns pelo site e pelas dicas! Meu marido irá tirar visto de residência pra fazer mestrado. Já o curso que eu pretendo fazer dura menos de um ano. Sabe me dizer se eu indo com visto temporário consigo mudar para visto de residência por reagrupamento familiar? Ou para esse procedimento só se eu for como estudante (sem nenhum visto)? O problema de ir como turista é que não poderei estudar até que saia o reagrupamento (que pelo que vi não é tão rápido no Porto, pois só pode ser solicitado após te saído a autorização de residência do meu marido). Agradeço se puder me ajudar!
    • ReplyNique
      *Ou para esse procedimento só se eu for como TURISTA (sem nenhum visto)?
    • ReplyGabriela Olem
      Venha como turista e aqui faça o reagrupamento familiar. Você poderá estudar estando como turista nos primeiros meses.
  66. ReplyRonaldo
    Oi Gabriela, tudo bem? Estarei indo fazer mestrado em Portugal, porém as minhas aulas começam dia 18 de setembro e acredito que o meu visto não estará pronto até esta data. Logo,devo chegar atrasado e perderei algumas aulas, estarei meio atolado com os processos burocráticos e etc. O que você me aconselha a fazer? É normal os alunos perderem aulas por conta da demora do visto, algumas pessoas já me informaram isto.
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Ronaldo, é normal perder algumas semanas de aula para resolver essas coisas. :)
  67. ReplyCristina
    Olá Gabriela, muito obrigada por este post está me ajudando muito!!! A dúvida é, os documentos para reagrupamento familiar, se levar a certidão de casamento apostilada já serve? Ou ainda sim precisa ser reconhecida pelo consulado?
    • ReplyGabriela Olem
      A legalização no consulado não é mais realizada, apenas apostilamento ;)
  68. ReplyGustavo Barbosa
    Boa tarde Gabriela, ótimo post parabéns. Pode me tirar algumas dúvidas: → tenho união estável com minha esposa no brasil, após eu requer minha residência posso requerer o reagrupamento familiar para ela e meu filho? → Quando antes da validade terminar, devemos "atualizar" a validade do título de residência para esta não se encerrar? → preciso fazer a comprovação financeira de 100% + 50% + 30% (Eu, minha espoa e um filho de 2 anos) correto? Obrigado.
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Gustavo! 1. Sim! ;) 2. Validade de que? Seria na hora de renovar o título de residência após passar 1 ano? Se for esse o caso, é tentar resolver nos 30 dias antes de vencer o título. 3. Sim! :) Abraços!
      • ReplyGustavo Barbosa
        Muito obrigado Gabriela, estou absorvendo cada palavra do seu blog. Breve postarei mais dúvidas. Seu empenho tem sido fundamental em meu planejamento, sou muito grato!
  69. ReplyLaís
    Olá Gabriela! Parabéns por dispor seu tempo para ajudar com tantas informações importantes. :) Meu caso é que fui no Consulado tirar dúvidas sobre o que preciso fazer para conseguir o visto de estudante pra mim e meu marido ir me acompanhando. Ela foi super simpática mas nos informou que meu marido indo como Reagrupamento familiar não pode trabalhar no período que estiver lá. Isso nos desanimou bastante, mas lendo seu post me animei novamente. Você sabe se mudou alguma coisa nos últimos meses quanto a possibilidade dele poder trabalhar? Como vamos para Lisboa, você sabe se teria alguma diferença nesse sentido de conseguir trabalho tendo conseguido o Reagrupamento? Pelo que você vê por aí, é muito difícil conseguir trabalho nessas condições? Ele indo como turista, pode ao invés de pedir reagrupamento, procurar logo um curso, se matricular e solicitar a permanência como estudante? Muitíssimo obrigada! :)
    • ReplyGabriela Olem
      Oi Laís, fazendo o reagrupamento ele poderá trabalhar sim, normalmente. Nem se preocupa. ;)
  70. ReplyGeo
    Ola, obrigada por todas as informações....perfeitas. Temos uma dúvida ainda: Meu esposo esta com visto para doutorado, chegando em Porto ele irá solicitar o visto de residencia e o reagrupamento familiar para mim e nossos dois filhos. A pergunta é: Eu e meus filhos podemos ir com passagem apenas de ida e o documento do meu marido onde consta a solicitaçao do reagrupamento?? Ou temos que ter passagens de ida e volta?? Agradeço desde ja. Geovana Neri
  71. Replyramelo
    Olá, se eu receber o visto D7 minha esposa poderá trablhar?
    • ReplyGabriela Olem
      Sim :)
  72. ReplyLuciana
    Gabriela, boa tarde. seu post é bem explicativo mesmo! Mas estou com uma dúvida que não consegui tirar até agora... seguinte: meu marido conseguiu o D7 e já foi para Portugal. Eu vou no fim do ano com nossos filhos. Ainda não demos entrada no reagrupamento familiar porque eu ainda estou no Brasil e ele está com o SEF marcado para semana que vem. Li no Facebook que as pessoas que não possuem visto e que não têm visto de permanência não podem entrar no País, isso procede? Estava pensando em ir com a passagem de ida e assim que chegar em Portugal, solicitar o reagrupamento familiar. É possível? Obrigada Luciana
    • ReplyGabriela Olem
      Vocês vão vir como turistas. Venham com todos os documentos necessários para esse tipo de visita. Leia aqui: https://infoportugal.com.pt/2017/01/19/documentos-como-turista-imigracao/ Após entrada em Portugal, é agendar o reagrupamento familiar.
  73. ReplyJess
    Oi Gabriela, tudo bem? Estou meio confusa ainda sobre o reagrupamento familiar. :( Meu noivo é cidadão português e vamos nos casar no próximo ano aqui no Brasil. Temos que apostilar os documentos do casamento aqui e só em Portugal pedir o reagrupamento familiar? Outra questão é se tenho que aguardar os 3 meses de turista acabarem para dar entrada no reagrupamento? Fazendo o reagrupamento familiar, há algo mais a fazer sobre o visto de residência? Desculpe as várias perguntas, é que a maioria dos sites não nos dão passo a passo e alguns até tem informações divergentes. Obrigada!
    • ReplyGabriela Olem
      Jess, você não faz reagrupamento familiar, leia a parte de Cartão de Residência neste link por favor: http://mundoafrente.com/2017/02/14/brasileiros-com-dupla-cidadania-em-portugal/
  74. ReplyLARA ALVES
    BOA TARDE! GOSTARIA DE SABER SE É POSSÍVEL QUE EU MORE EM PORTUGAL COM MEU FILHO QUE TEM 10 ANOS, ELE TEM DUPLA CIDADANIA (ITALOBRASILIANO) , SOU BRASILEIRA E A VIDA NO BRASIL ESTÁ INSUSTENTÁVEL PARA A CRIAÇÃO DOS NOSSO PEQUENOS. PODERIAS ME AJUDAR? GRATA.
    • ReplyGabriela Olem
      Acredito que sim! ;)
  75. ReplyJuliana
    OI! Estou começando a pesquisar as coisas pra ir pra Portugal fazer mestrado e levar meu noivo e cachorro juntos haha E seu blog está muito completo, adorei, parabéns! Fiquei com uma dúvida nesse post, sobre a questão da comprovação de renda. É necessário ter então, no caso de um casal, renda de 150% em cima do salário mínimo, como você disse ne? Mas o que não ficou claro é se basta ter a quantia de um mês, ou se é preciso um mínimo de meses. Sabe me informar? Obrigada.
    • ReplyGabriela Olem
      Juliana, está esclarecido no post mesmo, onde eu disse: "...salário mínimo vigente de Portugal acumulado em conta, ou seja, NÃO é preciso multiplicar pelo tempo que irá ficar". ;)
  76. ReplyAna
    Olá Gabriela, amei o seu post, foi extremamente esclarecedor. Me casei recentemente, meu marido é português, e decidimos vir pra Lisboa, consegui o agendamento no SEF de Lisboa com um prazo de 6 meses de espera, só seremos atendidos em Fevereiro, e realmente no ato do agendamento ninguém me falou da documentação necessária para o reagrupamento familiar, e nem no site do SEF essa informação é clara, ou seja, o seu post foi de grande ajuda. Gostaria de tirar 2 dúvidas contigo. 1 - eu tenho o valor de subsistência necessário por lei em minha conta, o meu marido precisa ter este valor pelo fato dele me reagrupar ou se eu tiver não tem problema? 2- após a emissão do "canhoto" da residência pelo SEF já posso trabalhar ou tenho que aguardar o cartão original? muito obrigada, Abraços
    • ReplyGabriela Olem
      Ana, seu caso não é reagrupamento, veja por favor a parte de "Cartão de Residência" deste link e veja que você talvez tenha agendado para o procedimento errado: http://mundoafrente.com/2017/02/14/brasileiros-com-dupla-cidadania-em-portugal/

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Você pode utilizar tags HTML e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>